Você encontrará a seguir depoimentos de três profissionais de saúde que atuam diariamente com a homeopatia.

1.DEPOIMENTO DE PIERRE POPOWSKI, PEDIATRA: “A HOMEOPATIA É BASEADA NA ATENÇÃO AOS OUTROS”

De acordo com o sindicato nacional de pediatras franceses, os franceses são os usuários de homeopatia número um da Europa. O Dr. Popowski, pediatra da região de Paris, relembra esta terapia que pratica há mais de 30 anos.

Por que você usa essa terapia?
“Comecei a tratar pacientes com homeopatia quando iniciei meu consultório em 1983. Na época, descobri que as doenças no setor ambulatorial eram diferentes das encontradas nos hospitais. Senti que os tratamentos hospitalares (por exemplo, antibióticos, corticosteróides) não eram de todo adaptados às doenças das crianças que procuravam o meu consultório. E a eficácia da homeopatia é o que me convenceu. Como pediatra, acho que é bom tratar, mas é melhor curar.

Que tipo de pais procuram você?
Usuários regulares de homeopatia vêm ao meu consultório, mas também outros pais pela indicação de boca em boca. Eles podem ser céticos no início, mas são rapidamente convencidos quando percebem que funciona. Também vejo mães dispostas a levar uma vida saudável e pais que valorizam o aspecto preventivo da homeopatia. E gostam também do conforto da automedicação, desde que supervisionada por um médico ou farmacêutico.

Qual é o papel dos pais durante a consulta?
O princípio da homeopatia é curar por meio dos sintomas, não pela definição de doenças. Consequentemente, o papel dos pais e suas habilidades de observação são cruciais. São eles que descrevem seu filho doente e me ajudam a reunir informações relevantes. Me dizer que seu filho está com tosse não é suficiente. Preciso saber como a criança tosse, se isso acontece de noite ou de dia, o que melhora, o que piora. Embora essa informação possa parecer empírica, ela me permite prescrever com eficácia o tipo de medicamento adequado à situação. Por isso a consulta dura um pouco mais: a homeopatia se baseia na observação detalhada do paciente.


 

Quais doenças infantis podem ser aliviadas pela homeopatia?

Todas as doenças infantis que não requerem hospitalização podem ser tratadas pela homeopatia. Quando comecei, tratei muitos casos de rinofaringite, bronquiolite e outras doenças infantis como a varicela. Nesse caso, a homeopatia ajuda a encurtar o período de progressão e reduzir os riscos de complicações. Ao longo dos anos, também tratei doenças cada vez mais graves, como asma, eczema atópico e doenças autoimunes. A homeopatia também é usada como tratamento de suporte em oncologia. Nesse caso, os medicamentos homeopáticos não curam, é claro, mas dão mais assistência para acalmar o paciente e prevenir os efeitos colaterais da quimioterapia e / ou radioterapia ”.

2.TDEPOIMENTO DE MARIE-HÉLÈNE AMABILE: “A HOMEOPATIA TRATA TODOS”

 

A homeopatia freqüentemente enfrenta preconceitos / equívocos e aproximações questionáveis. Para esclarecer as coisas, entrevistamos a Dra. Marie-Hélène Amabile, médica homeopática.

 

Vamos começar com uma lição de grego útil para entender as raízes da homeopatia. Na linguagem de Sócrates, homeos significa semelhante e pathos significa “doença/sofrimento”. Um dos princípios desta terapia é, para simplificar, “combater o fogo com fogo”: uma substância que causa uma série de sintomas numa pessoa sã pode tratar os mesmos sintomas num paciente (exemplo de uma substância que, quando ingerida em altas doses, causa excitação, tremores, palpitações, despertar noturno). No tratamento homeopático, a diluição desta substância é usada para tratar o estresse e distúrbios do sono. Outro princípio da terapia homeopática é "administrar o tratamento adaptado a cada paciente", ou seja, a individualização do tratamento. “Por exemplo, quatro pessoas resfriadas. Eles podem não ter os mesmos sintomas (rinite, coriza clara ou corrimento nasal espesso, etc.). Portanto, você não trata apenas uma doença, mas de um paciente que sofre da doença ”.

Por último, a verdadeira especificidade da homeopatia é administrar a substância em doses muito pequenas: a conhecida dose infinitesimal, limitando assim ao mínimo o risco de toxicidade.


Hoje, 50% dos franceses com mais de 18 anos já utilizaram a homeopatia como terapia1.

 

Qual a forma dos medicamentos homeopáticos?

A homeopatia é, em primeiro lugar, medicamentos. Centenas de substâncias de origem vegetal (Arnica), animal (venenos de cobra), minerais / químicos (Calcário de ostra) são utilizadas na produção de medicamentos homeopáticos. Sua produção altamente regulada é um processo de 3 etapas: produção da tintura-mãe a partir da substância básica, diluição-dinamização para resultar no ingrediente homeopático ativo e impregnação deste ingrediente ativo no transportador inerte (micro-glóbulos, glóbulos, gel, xarope, pomada, etc.).


O medicamento é produzido principalmente em duas formas: tubo de aproximadamente 80 glóbulos e a dose única (composta de micro-glóbulos) para ser administrado de uma vez. Basta colocar os micro-glóbulos ou glóbulos sob a língua e deixá-los derreter. Para os bebês, é aconselhável diluí-los em um pouco de água. Os medicamentos homeopáticos também podem ser produzidos na forma de xaropes, comprimidos, doses únicas, gel ou pomadas. 

 


Homeopatia para complementar a medicina tradicional

Devemos ressaltar que os homeopatas são, antes de mais nada, médicos. “Eles são especialistas. Eles são formados em medicina e decidiram, após concluírem seus estudos, aprimorar sua prática com a homeopatia. Eles fizeram um treinamento complementar em uma escola homeopática privada ou uma universidade com um diploma reconhecido pelo Conselho de Medicina”, diz o Dr. Amabile.


Eles podem, portanto, prescrever tratamento homeopático a um paciente como primeiro recurso. Em outros casos, eles podem decidir combinar medicamentos convencionais e homeopáticos.

Hoje, 34% dos especialistas afirmam prescrever medicamentos homeopáticos para tratar seus pacientes diariamente2. “São meios complementares. Muitos são os motivos pelos quais eles devem ser integrados à nossa prática: evita a necessidade de adicionar muitos medicamentos, não há interação com outros medicamentos, não há efeitos colaterais e risco zero de dependência. A homeopatia trata a todos: desde crianças a idosos, incluindo mulheres grávidas ”.

Consulta padrão, mas questionamento cuidadoso


A consulta de um médico homeopata é semelhante a uma consulta comum. Obviamente, envolve um exame clínico, mas o médico confia no questionário para encontrar mais informações e determinar o medicamento apropriado. “O questionamento aprofundado é usado para conhecer o paciente: seus sintomas detalhados, estilo de vida, história familiar e pessoal para identificar a resposta individual do paciente à sua doença”. “Para o médico, a homeopatia é uma solução terapêutica complementar utilizada para considerar o paciente como um todo, para que o tratamento prescrito seja o mais personalizado possível e reajustado quando necessário”, acrescenta a Dra. Amabile.

3.

1 Fonte: Franceses e medicamentos homeopáticos, Instituto IPSOS, maio de 2015 (Base: 1.212 Franceses)) 2 Fonte: Pesquisa realizada pela IPSOS em nome da Weleda / Lehning / Boiron entre 302 GPs autônomos representativos da população entrevistada, março de 2019.

Compartilhe :

Facebook
Linkedin
test@tes.fr